terça-feira, 25 de março de 2014

Ah, os números!

Outro dia estava conversando com um colega que trabalha no turno da madrugada e também tem um filho da idade do Pedro:

- E aí, ta pesada a vida com o nenê?
- Ah, mais difícil pra mulher né. Pra mim tá tranquilo
- Vc não dá uma mão pra ela?
- Até dou, mas pouca coisa. Quem tem peito é ela né! hahahahaha!
- hahahaha


Fiquei incomodado com a conversa. Tão incomodado que resolvi mapear as atividades de cuidar de um nenê. Parece óbvio, mas não é. Tenho notado que a maioria não se toca que tem tudo isso pra fazer. Antes que alguém diga que não é assim, os números se baseiam na nossa rotina com o Pedro. Cada caso é um caso, podem colocar aí nos comentarios se acharaem legal adicionar algo mas não sejam ranzinzas. Dá muito bem pra entender o que eu quero dizer. Vejam:

Amamentar - 1 vez a cada 3h* por 20 min
Não tem jeito. Essa é da mãe portadora de peito. Claro que existem os casos em que a criança toma fórmula mas vamos considerar o leite materno pra dar uma chance pro meu amigo

(*) OK, eu sei que 3h é muito tempo. Vale explicar que o Pedro mal sabia mamar e tinha que ser estimulado, as vezes até acordado, pra se alimentar. Era o mínimo pra sobreviver considerando a prematuridade. Um bebê que nasce no tempo normal se alimenta diferente.

Arrotar - 1 vez a cada 3h por 15 min
Sim. Eles precisam arrotar depois do rango. Eu ainda não descobri em que momento da vida isso deixa de ser legal e passa a ser falta de educação. A Elaine disse que é depois de casar, mas minha mãe já não achava legal quando eu era solteiro.

Trocar Fralda - 1 vez a cada 3 horas, 5 min
Sim. Eles sujam tudo isso mesmo. Cada mamada é uma fralda se vc quiser manter o guri sempre limpo.

Fazer dormir - 3 vezes por dia, 20 minutos
Antes de ser pai eu não entendia porque tinha que fazer a criança dormir. Deixa ela lá ué! Se quiser dormir dorme, senão fica de boa no berço. Só que eles ficam chorando se vc fizer isso, então vc faz dormir pra ter sossego e seguir com a sua vida por umas horas. Fazer dormir é uma arte. Arte moderna, daquelas que ninguem entende como faz. É sorte, acho.

Brincar/Estimular/Passear - 2 vezes ao dia por 10 min
Brincar? Sim, meu jovem. Seu herdeiro precisa ser estimulado e isso não é só meter o bicho no rumo da galinha pintadinha. Tem que exercitar, passear, mexer com brinquedo, cantar, colocar no sol... sacou?

Dar banho e vestir - 1 vez ao dia, 15 minutos
Dar banho toma tempo. Não é simples como parece. Além do banho em si tem que limpar orelha, lingua, pinto, passar coisa contra assadura, vestir, pentear. Da dor nas costas. Os apetrechos são sempre baixos pra nós.

Levar no pediatra - 1 vez ao mes, 2 horas
Até a criança completar um ano é bom que tenha um acompanhamento profissional. Se deslocar pro consultorio, bater aquele papo na consulta atrasada e voltar toma um tempão e é dificil de fazer sozinho.

Levar pra vacinar - 1 vez ao mês, 1 hora
Toma um tempão também e é chato. Quem conseguir não sentir um aperto no peito ao ver o filho de poucos meses berrar com uma agulha enfiada na perna ganha um rolo de fumo de corda. Vc deve usá-lo pra mascar por aí e exibir a pessoa casca grossa que vc é!

Preparar papinha - 4 vezes ao dia, 5 minutos
Como estou me baseando na rotina do Pedro que ainda nao completou 7 meses, considerei apenas as papinhas de fruta que sao faceis de preparar. Quando entram as salgadas o bicho pega, mas deixa assim mesmo. Selecionar a fruta, lavar, tirar semente, amassar, etc adivinhe: TOMA TEMPO! A nao ser que vc opte pelas industrializadas, claro.

Dar papinha - 4 vezes ao dia, 20 minutos
Momento legal. ninguém devia perder isso. Tempo bem gasto que exercita a paciencia mas vale a pena entender como seu filho funciona e evolui.

Verificar se o bebê está vivo - 1 vez ao dia, 1 minuto
Essa não toma tempo mas faz parte da rotina. Quando ele tá muito quieto vc deconfia que ele morreu. Sério. Tem gente que não admite, mas duvido que quem tem filho aqui não cheque isso secretamente ao menos 1 vez ao dia.

Esfregar roupas manchadas - 1 vez ao dia, 10 minutos
Surpresa! Bebês se sujam e geralmente eles estão de roupa. Precisa lavar antes de usar de novo, sacou? Tipo cueca, só que com outro sabão.

Arrumar a mala do bebê - 1 vez ao dia, 5 minutos
Pra que uma mala por dia? Não é uma mala por dia mas sim ter sempre a mala pronta. Vc tem que estar um pouco previnido. Não entendeu? É assim: vc precisa levar os apetrechos pra resolver o problema caso seu filho se transforme num canhão de merda num local publico, entendeu? Legal.

Verificar/Descartar roupas que não servem mais - 1 vez ao mês, meia hora
Eles crescem pra caramba. Precisa descartar as roupas que estao pequenas e também verificar se tem roupa suficiente pro novo tamanho. Toma tempo. Se a mãe ou vó estiver junto toma mais ainda porque rola um surto de saudosismo e fofurismo que atrasa o processo.

Cortar unhas - 1 vez por semana,  20 minutos
Essa é ninja. É difícil pra cacete e tem que ser feito com o guri dormindo. Já tirei uns pedaços do dedo dele, coitado. Com muito amor, mas tirei. Aprendizado...

Muito bem... perdeu as contas? Eu ajudo



Por que eu fiz isso? Pra mostrar pros meus comparsas pais que mesmo que vc não tenha seios cheios de leite vc pode sim fazer muito pela sua cria e ajudar a patroa ter uma vida que não se resuma a cuidar de filhos enquanto você faz o que quiser. Ah, vc tem um emprego em horário comercial? Legal. Calculei isso pra vc também:



A última coluna é quanto dessas tarefas tem de acontecer obrigatoriamente em horario comercial.

Exemplo:
Pediatra - 100% - Não tem jeito. Se vc não pode sair do trabalho, não consegue ajudar nessa
Preparar papinha - 50% - Vc não precisa dar todas, mas pode fazer metade
Dar banho - 0% - Vc pode muito bem dar banho depois que chega do trabalho. Cansado? Ela também.

E a que conclusão chegamos?




Isso mesmo. Quase 65% do cuidado diário com um bebê pode ser feito pelo pai mesmo que ele não esteja em casa no horário comercial. Um emprego normal toma 1/3 do dia. Um pouco mais dependendo do deslocamento. Sobra pelo menos mais 1/3 pra participar. Eu sei que vc tem que dormir, mas geralmente o bebê não respeita isso. Agir de madrugada é parte do jogo.

Muitas dessas coisas que listei precisam habilidade, delicadeza. Não é fácil mas aprende-se. Vamos deixar esse papo de "homem não leva jeito pra isso". É seu filho, é sua mulher vivendo pior porque você não participa direito.

No fim das contas meu amigo falou uma coisa certa: tem que ter peito. Tenhamos!

136 comentários:

  1. Ameiiiiiiiiiiiii muitos papais precisam ler isso! Inclusive vou compartilhar em um grupo de gestantes esse blog! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flavio, vc é real?kk. Parabéns! A tua esposa com certeza é muito mais feliz e serena, graças à vc! Isso ajuda 100% no relacionamento.

      Excluir
    2. Não sou mãe ainda mas já achei espetacular. Parabéns não só pelo texto, que está leve de ler mas recheado de informações, mas também por ser PAI! O Pedro e sua esposa agradecem a parceria!

      Excluir
    3. Como é bom ver um pai de verdade, e um marido participativo.
      A Débora é uma pessoa maravilhosa, e merece o que conquistou.
      O Blog está ótimo.
      Beijo a esta família.

      Excluir
  2. clap clap clap!!!!! Palmas! eu não tenho filho ainda.... mas qdo tiver, o André terá q ser parceiro assim! vou salvar esse texto pra posteridade, só por garantia.... rsrs

    ResponderExcluir
  3. Fantástico Flávio infelizmente vc faz parte da minoria porque a maioria pensa como seu amigo. Parabéns por essa iniciativa.

    ResponderExcluir
  4. Muito bem meu sobrinho e parabéns pela sua colaboração. O Pedro vai ficar muito orgulhoso.

    ResponderExcluir
  5. adorei o texto e saber que existem sim pais participativos, inclusive, citei o texto no meu blog! Parabéns por ser esse exemplo e homem de sorte em poder acompanhar e cuidar do seu filhote, saúde a família sempre!

    ResponderExcluir
  6. O melhor texto que já li nos últimos anos! Nós estamos esperando nossa vez com as nossas tentativas! E esperamos que essa fase chegue logo, e todos os seus posts nos servirão de aprendizado a cada fase dessa que viermos a passar! Obrigada por escrever tanta coisa massa e principalmente por dividir conosco!

    ResponderExcluir
  7. kkkkkkkkk aqui são gêmeos, ai o pai tem duas opçoes, a primeira é ajudar e a segunda é ajudar kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  8. Mandou muito bem Marim!
    Contra números não existem argumentos! :D
    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Meu Deus esse cara é um gênio, além de ser um excelente pai. Fiquei mtoo fã

    ResponderExcluir
  10. Olá, faltou calcular o tempo de ir comprar as frutas, fraldas, remedinhos... Depois, os legumes, carninhas, etc...

    ResponderExcluir
  11. Excelente idéia, se todos tivessem pelo menos essa noção de comprometimento, não teríamos tantos bandidos e vagabundos soltos em nossa sociedade. Parabéns mestre, muita saúde pro mlkão e sejam felizes.

    ResponderExcluir
  12. Vou defender o cara que falou que tá tranquilo...

    O meu moleque tem 3 meses. Por enquanto, a mãe tá de licença. Daqui um mês ela volta ao trabalho. E meus diálogos com os conhecidos é meio que nessa linda. Quem sofre mais no começo é a mãe, mesmo. É ela que tem que acordar de madrugada pra amamentar. Apoio moral às 3 da manhã não resolve muita coisa. Demoramos 2 dias pra perceber isso. A relação custo-benefício não compensa. O custo de acordar é alto, o benefício de aliviar a mãe na hora do bebê arrotar, ou na hora de trocar, não compensa. Isso não se aplica aos casos em que o bebê está com dificuldade de dormir, por qualquer razão.

    No mais, eu faço todas as outras tarefas, junto com ela. O banho nos finais de semana é meu. Durante a semana, é dela, só por uma questão prática mesmo. Tá mais quente durante o dia, por exemplo. Mas as outras tarefas são tão tranquilas e prazerosas que, particularmente, não dão tanto trabalho. Trocar é ridículo, depois de um mês você tá ninja, então não conta. Brincar/passear é divertido, não conta tb. Levar ao pediatra é obrigação, e tb é legal. É como ler o manual de instruções uma vez por mês. Não conta. Fazer dormir tb é legal, dá um baita orgulho quando o menino tá bravo e acaba dormindo no seu colo. Não conta.

    Pra mim, posso dizer que tá bem tranquilo. Em parte porque eu adoro cuidar do menino, em parte porque ele é bonzinho demais.

    Tomara que seja o caso do nosso amigo.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi. Bom, seu caso é com certeza diferente do dele. Vc ta tranquilo porque faz tudo com prazer, então nada "conta". Já ele tá tranquilo porque não ajuda em nada mesmo :-)

      Excluir
    2. desculpa te desanimar mas tudo fica beeeeeeeeeeem mais trabalhoso qndo o mlk começa a andar e comer.....loucura total....dar banho, trocar fralda e dar comida parece que ele virou um polvo e fazer comida, arrumar a casa e lavar roupas, os passeios são mto mais desgastantes e longos, há e eles não dixam vc sentar nenhum segundo te demandam o tempo inteiro e as sonecas diminuem muito, dormir é bem mais difícil...

      Excluir
    3. Oi Anonimo, o pai não tem que apoiar mesmo não! O pai tem que compartilhar todo o cuidado, ser orgânico e inteiro no processo. Nunca vi uma mãe dizer que apoia o pai no cuidado ao filho, o que vejo é a mãe que cuida do filho!!! E tudo, exatamente tudo o que vc relatou que nao conta, conta sim! conta porque tudo iso é cuidado; indendente de ser trabalhoso ou não. Não queira tirar por menos, pois td isso é muito valioso.

      Excluir
    4. Vc acha que apoio moral não conta de madrugada porque não é vc que acorda toda santa noite.

      Excluir
  13. Quero falar da vacina. . QUANDO É A PENTA ELES SOFREM MUITO! !! ATÉ UMAS 12 horas depois! O local fica dolorido e eles tem febre.. Se não fosse a ajuda do meu marido não sei o que seria de mim e da nossa princesa! Parabéns Pela dedicação! !!!

    ResponderExcluir
  14. Me enxerguei completamente em seu texto!!! Até a forma de escrever e os cálculos! Só que eu não conseguiria me expressar tão bem como vc!!! Parabéns!!! Também sou um pai moderno, presente, e participo ativamente em todas as questões que envolve meu filho Francisco! (5 meses). Abço!!

    ResponderExcluir
  15. gostaria tato que o pai da minha Yaya , fosse participativo ,com essa nova vidinha nossa :(

    ResponderExcluir
  16. Ai que sonhoooo! Espero que meu marido nao veja isso...kkkk...mas pra vc ter noção, passamos o dia em casa e eu sou responsável pelos dois bebes da casa. Um tem um ano e meio e outro três meses! Com o mais velho ele veio dar o primeiro banho depois d um ano...pq estavamos na praia e ele precisou d uma chuveirada para tirar o sal! Depois disso....casos extremos qndo ele faz coco e eu estou amamentando! Gracas a Deus ele cozinha, pois ja tem outros dois filhos morando com a gente e ele ja esta acostumado. Mas tirando isso é: trocar fraldas dos dois o dia inteiro, dar comida enquanto amamento, dar uns três banhos no maior e dois no menor, lavar e passar roupas de nós quatro, arriumar a casa, brincar con ao mais velho q exige mais atenção pq ja sabe reivindicar, colocar para soneca da tarde, dar frutas no intervalo das refeições e por fim ( eu acho) por pra dormir (os dois ao mesmo tempo, um no peito direito e o outro com mamadeira do lado esquerdo deitado emcima d min tbm). Ufaaa....bom....uma loucura, mas por mais q eu falasse q precisava d ajuda, e nada adiantou! Melhorou algumas coisas...tipo segurar um enquanto dou banho no outro. E por ai vai.....realmente eh um sonho um pai q faz as tarefas da mae! Mas infelizmente isso nai eh para todas. Aos poucos fui me adaptando e ja estou mais acostumada, mas...tempo pra mim? Pro casal? Naaaaaada. Nao sei pq tem aquele pensamento q alguns tem d q " filho segura marido"....pois eu acho q se não souberem dividir as coisas, acaba afastando! Pq só um casamento muito bem estruturado pra permanecer depois doa filhos. Um cara cabeça pra nao largar a mulher quando ela estiver cansada, descabelada e com olheiras, que larga o salto alto e as saias e vestidinhos pra andar d sapatilha e jeans pq eh mais confortavel para correr e pegar os filhos no colo. Ixi...pronto. ..acho q meu comentário foi mais um desabafo. Desculpem qualquer coisa...mas eh verdade. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Mas infelizmente isso nai eh para todas. Aos poucos fui me adaptando e ja estou mais acostumada". Eu acho é que você não deveria de acostumar com isso. Que ABSURDO esse seu marido, sinceramente! Dá um chega pra lá nele e não pede não, MANDA ele fazer as coisas. Onde já se viu isso?? Falava que precisava de ajuda e nada adiantou? É pra tomar uma atitude ONTEM!!

      Excluir
    2. "...realmente eh um sonho um pai q faz as tarefas da mae!"... Amiga, o problema já começa com esse pensamento "tarefas da mãe". As tarefas NÃO SÃO DA MÃE. As tarefas são de cuidado com os filhos e, por isso, são dos pais - pai e mãe!

      Excluir
  17. Parabéns pelo pensamento tão contemporâneo. E imagino que sua mãe tb deva receber parabéns pois suponho que ela não te criou como um dependente/incompetente que acha tudo que se refere à casa e filhos é responsabilidade da mulher. ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Simone. Obrigado! Minha mãe (e meu pai) sempre tocaram a casa a moda antiga. Ela em casa, ele trazendo dinheiro. São de outra geração, não tem jeito. A verdadeira contribuição deles nesse assunto foi me ensinar a observar, pensar e principalmente: questionar o jeito que as coisas são ao invés de apenas "continuar o que sempre foi assim". Acho que isso é o legado mais valioso que devemos a nossos pequenos: pensamento livre.

      Excluir
    2. È isso..legados!Mudanças para tornar nosso mundo um lugar melhor para eles,nossos filhos,nossos netos.Nada tem que ser assim porque sempre foi assim...vamos que vamos .E Deus abençôe o Pedro.

      Excluir
  18. Minha esposa me mandou esse link e compartilhou no facebook para todas as suas amigas. Ela quer que você seja o pai dos nossos filhos. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que um macho sentiu-se acuado

      Excluir
  19. muito bom, excelente divertido demais, queria muito saber qual é o calculo de horas gastas por dia, porque para mim parecem ser 24 horas por dia, seu bb ainda não tem 1 ano ne, faltaria lista ai: lavar louças, esterilizar mamadeiras, catar os brinquedos pela casa, arrumar tudo q ele desarruma, passeios e brincadeiras 10 minutos?? haha pode por 2 horas, dar comida será muito mais longo catar a comida no chão, banhos serão 3 por dia porque ele vai se sujar todo, troca de fralda vai ser bem mais demorada pq ele não vai deixar...nossa e vc esqueceu de lavar, estender, recolher, dobrar e guardar roupa, há e trocar roupas umas cinco vezes por dia pq suja o tempo todo.....adoraria ver essa tabela refeita qndo ele fizer 1 ano!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thati. O Pedro só tem 7 meses e algumas caracteristicas ainda são de 5 ou 6 porque ele nasceu prematuro. Eu tentei colocar nessa tabela o mínimo que acredito que se aplique a todo mundo.
      Eu acho que quando tiver um tempinho vou disponibilizar o arquivo que faz os calculos pra cada pessoa poder adaptar a sua realidade.
      Só se me permite, cuidado com a "síndrome do nunca ta bom". Muitos pais desistem de participar porque as mães sempre acham que o que eles fazem é fichinha perto do que ela faz. Todo pequeno esforço deve ser valorizado pra se tornar grande.

      Excluir
    2. Flávio vc disse tudo, a mãe que é muito possessiva não deixa ninguém cuidar de seu filho, pq o dela é sempre melhor, sempre coloca defeito, então quem queria ajudar desiste, por culpa dela mesma.

      Excluir
    3. Com certeza tentamoa ajudar nas tudo que fazemos ou é mal feito aos olhos da mãe ou então é muito pouco perto do que ela faz... aí a gente desanima e curte o filho nas horas boas mesmo, quando ta limpinho e de fralda trocada já que a mãe não gosta de nada que a gente faz...

      Excluir
  20. Dizer mais o que??? Você é o CARA, meu sobrinho! Ponto final!!!! Exemplo a ser seguido eternamente... .Um verdadeiro GENTLEMAN!!!!! Tenho muito orgulho e admiração pela pessoa, filho, irmão, esposo e PAIZAO que és!!! Beijossss família LINDA, que amo de montão!!! <3

    ResponderExcluir
  21. Gostei muito do texto. Aqui em casa nunca precisei de ajuda com a Maria, hoje com 3 anos, porque o Gilson sempre puxa a responsabilidade pra ele. Banho, fralda, comida, que além de dar é ele quem faz, conta história pra dormir, pedalam juntos desde que era apenas na cadeirinha e ela já está na segunda bicicleta. Amamentei até 2 anos e 11 meses, e ela só foi para a creche 3 meses antes disso. É uma cultura, mas está errado: o pai não pode pensar em fazer algo pelo filho para ajudar a mulher. A responsabilidade é dos dois. Afinal, a mãe não fez o filho sozinha.

    ResponderExcluir
  22. Parabéns pela iniciativa. Aqui em casa meu marido ajuda, não muito, mas ajuda. Com a chegada do segundo filho ele teve que "assumir " o primeiro. Eles vivem entre tapas e bjs, pq o mais velho tem 5 anos e era todo regrado, com hr pra tudo e o pai não consegue manter muito bem a rotina. Mas vamos levando do jeito q dá, o pequeno já está com 10 meses e as coisas vão ficando mais fáceis. Espero que incentive outros homens. PARABÉNS!!!!

    ResponderExcluir
  23. Marin adorei o blog e o post, ainda nao sou mãe, mais quem sabe um dia.
    Tbm compartilho da ideia d q o pai tbm tem q ajudar, ja estou treinando o namorado que voce conhece ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana. Obrigado.
      Cuidado com o teinamento precoce hein? Namoro é pra curtir e aproveitar sem se preocupar com muita coisa. Tem tempo de sobra depois pra treinar tudo que quiser. Abraço.

      Excluir
  24. Vc trabalha qtas horas por dia? Q horas?

    Mto legal seu texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rodson. Obrigado. Eu trabalho das 16 as 00h com pausa de 1h pra jantar. Meu trabalho é projetar sistemas de computador.

      Excluir
  25. Eu achei muito bacana da sua parte...sabemos que esse tipo de atitude, ajudar a esposa com os bebês, são para poucos. Não para pais capacitados e SIM, para pais interessados. Porque é bem mais fácil dizer que a mulher faz melhor e é mais fácil deixar na conta dela. Já que a mãe jamais vai deixar de fazer pelo seu bebê. Digo também pelas mães que se orgulham em ser mães. Sabemos que existem milhares de mulheres por aí que, simplesmente tiveram seus filhos, deram a vida, mas não fizeram nada para que eles fossem cuidados. Como também existem pais como você Flavio, que fazem pelo filho e se engrandecem com tamanho aprendizado. Feliz por vc, em ver o quanto amadureceu conceitos, acredito eu! Graças a Deus que eu desta vez também tive sorte. Meu bebê está com 6 meses e meu marido faz tudoooo e mais um pouco por ele. Tenho 3 filhos, duas meninas do 1º relacionamento e agora veio meu príncipe pra fechar com chave de ouro minha vida. Com minhas meninas não tive essa sorte! Que bom que Deus me presenteou em dose dupla, com um filho megaaa tranquilo e um pai extremamente presente em nossas vidas! :) Parabéns pelo seu blog...eu vi que compartilharam no face. Achei 100000000 sua ideia. Grande beijo, Monik Mota Melo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Monik. Esse é o espirito: estar sempre presente. Abraço!

      Excluir
  26. Flávio, que texto sensacional! Parabéns meu querido! Quero você na edição da Revista Vínculo do próxima mês, topas?rs

    Simone De Carvalho
    Fundadora da AMS Brasil e Editora da Revista Vìnculo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Simone. Puxa, que legal. Essa foi uma surpresa. Me escreve no flaviomarim@gmail.com por favor? Abraço.

      Excluir
  27. Grande Flávio parabéns! Você foi simplesmente fantástico. tenho certeza de que seu filho e sua esposa são abençoados por terem você com eles. Eu também não posso me queixar, meu marido Luiz Fernandes é Ninja, me ajudou desde o primeiro dia na maternidade, ele faz tudo... Só não amamenta a cria claro, mas de resto não sobra nada que ele não faça. Nosso filho hoje tem 1 aninho e graças a Deus e a mentalidade dele ser parecida com a sua, sou uma mãe muito feLizz e realizada. Mais uma vez parabéns e muito sucesso na sua jornada de pai internauta. Já começou muito bem. Sucesso e Saude!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lizz. Que bom. Mas só dá certo porque vocês deixam a gente participar. Mulher chata a gente sai correndo rapidão :-)

      Excluir
  28. Muuuuitooo bom....tenho um bebê de 4 meses, e além do peito ele toma complemento (fórmula), e meu marido me ajuda um bocado com ele, mais sei que poderia fazer mais...rsrsrsrs..Ele deveria ler isso!!!

    ResponderExcluir
  29. UAU! Arrasou, é isto mesmo. CTRL C + CTRL V para o email do meu esposo em 5,4,3,2,1 segundo :)

    ResponderExcluir
  30. kkk... Muito legal... no geral falou tudo e foi muito divertido entender o ponto de vista de um papai que simplesmente participa, graças a deus tenho um marido "ninja" que também se vira nos trinta pra dar uma força com nosso pequeno e é bem do jeitinho que você colocou... desajeitado e engraçado... e é isso que faz valer... Grd abraço e Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  31. Flávio, parabéns! Seria ótimo se todos pensassem assim e tivessem esse mesmo prazer com os filhos!
    Além de tudo o que escreveu eu incluiria os cuidados com a casa, o café, almoço, janta que a mãe precisa preparar não só para o bebê, mas para ela tb...
    Nós precisamos estar bem para cuidar bem do baby.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elisa. Tem tudo isso também, é verdade. A gente divide tudo da cozinha ao banheiro. Não coloquei porque achei que ficava meio fora do assunto do blog. Abraço!

      Excluir
  32. Flavio! Vc é o cara!

    ResponderExcluir
  33. Eu sempre achei a maternidade muito solitária. No meu primeiro filho que hoje está com 3 anos foi pior. Derramei muitas lágrimas de solidão, socorro, desabafo pq era muita coisa para dar conta. Meu marido sequer colocava para arrotar. Eu fazia absolutamente tudo! Vivia pela casa de camisola, com sono, olheiras, descabelada. Um banho por dia quase a meia-noite. Lavar o cabelo era puro luxo e ir ai salão equivalia a ganhar na mega sena. Dormi em pé de cansaço. Noites em claro cuidando do bb e meu marido dormindo. Quando conversava com outras pessoas ouvia que era assim mesmo. Nunca me convenci disso. Insisti, reclamei mas não surtiu muito efeito. Aí veio nossa filha que hoje está com 9 meses. Era ela no peito e o menino no meio das pernas. Horas dando mama. Desenvolvi visão noturna para trocar fraldas e não acordar as crianças. Como com uma mão só, me visto com uma mão só, tomo banho completo de tudo em 5 minutos e não durmo, apago! E meu marido nisso? Se sensibilizou mais com a filha, ficou com medo de um ataque meu e ta ajudando mais. Faz do jeito dele, mas faz e ta valendo. Mais umas duas reencarnações e fica no ponto kkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Edna. Se ele recolveu finalmente ajudar, paciencia com ele. A gente não foi criado pra isso, precisa aprender tudo do zero. Eu nao teria conseguido sem a paciencia da minha mulher.

      Excluir
  34. Serio, parabens para vc! Vou compartilhar com meu marido! Ainda nao temos filhos, maaaaaassss, ja vou jogando o verde.

    ResponderExcluir
  35. Flavio você está de parabéns... não tenho filhos, mas tenho um pai que sempre foi presente assim como você é... a única coisa q ele não fazia era dar banho (acho q tinha medo), mas quando ele ganhar netos vai praticar :)

    ResponderExcluir
  36. Fiquei muito feliz ao ler seu texto!!! Parabéns!!! Que Deus continue iluminando sua vida e família!
    Vou usar esse texto quando for a minha hora de aumentar a família!!

    ResponderExcluir
  37. Eu já sou avó. Mas adorei o seu texto. Acho que todo futuro pai deveria ler e pensar a respeito.

    ResponderExcluir
  38. Orra... mandou benzáááássssooo!!! :)

    Sou pai e também tento ajudar no que é possível em casa! Inclusive faço peripécias com minha filha Sofia, se tiver vontade uma hora procure no FaceBook: O Mundo de Sofia, só que Bucci.

    Parabéns e continue assim!!! As coisas vão piorar (no sentido de ter dores de cabeça) mas quando seu filho abre aquele sorriso pra você, você liga um "QUE SE DANE O PIOR" e fica super feliz com tudo isso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz... acho que ja recebi pra ler alguma coisa desse seu perfil. Mundo pequeno esse dos pais. Abraço.

      Excluir
  39. Mas esse post é genial, parabéns! Enviei pro marido, que infelizmente não fala português, o que significa que você acaba de arrumar mais um trabalho para uma mãe cansada que, agora, vai ter que fazer a tradutora ;) E vou linkar no blog. Um abraço, Alessandra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por 2 pacotes de fralda M eu traduzo. :-D

      Excluir
    2. Cara, vc é muito espirituoso rsrs!! Adorei! Meu marido é um super pai pra Luiza e ótimo marido. Ele deu todos os banhos desde o primeiro dia e isso acontece até hoje, ela já está com 5 anos.

      Mas eu tenho uma má notícia pra vc: a coisa só piora! Cuidar de nenê é uma delícia, fica muito mais exaustivo qdo começam a andar, mas é muito fofo tbm, então a gente releva. Só que com 3 anos, eu disse 3 viu, eles viram adolescentes. Aí sim a coisa fica punk. Haja energia pra tanta argumentação. E essa fase caro pai, não tem fim! rsrsrs. Parabéns!!! Se todos os pais fossem assim.

      Excluir
  40. adorei, pena que com o marido que tenho acho que não vai rola.. ele e muito impaciente, meu bebe tem só 15 dias..
    meu bebe chora um pouquinho ele acha q ja deve mama isso e brincadeira neh.. rsrs xazinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jomatham, se com 15 dias vc já diz que "isso é brincadeira" não é só ele que é impaciente né?
      No comecinho, qualquer choro pra nós é sempre fome. A gente fica angustiado querendo ajudar. Paciência com o marido, ajude-o a te ajudar.

      Excluir
  41. Eu tenho um Flávio Marim em casa e sei o tamanho do valor de um pai. Meu marido trabalha pesado o dia inteiro e, assim como vc, ajuda com bom humor. Eu e sua esposa somos sortudas pq a homarada por aí foge desse serviço, que é pesadíssimo sim, mas fica infinitamente mais leve quando compartilhado.
    Parabens! Espero que vc consiga atingir mais seguidores! Rs
    O mais legal sera a constatacao no futuro de que vc aproveitou muito essa fase q nao volta mais!

    ResponderExcluir
  42. Futura mamãe (7 semanas na barriga)4 de abr de 2014 10:01:00

    Obrigada! Você fez do meu dia muito melhor!!!

    ResponderExcluir
  43. Meu marido até q ajuda com algumas tarefas. O q me incomoda é eu ter q ficar pedindo. Gostaria q ele fosse mais pró-ativo em casa, mas como ele ajuda, não quero ser injusta com ele.
    Meu bebê está com 6 meses e voltei a trabalhar. Agora terei q ter mais paciência pois precisarei de mais ajuda dele (ou seja, mais pedidos) e estarei mais cansada. Mas enfim, não sei se estou reclamando sem necessidade...

    ResponderExcluir
  44. Flavio, não te conheço, mas quero te dar os parabéns por escrever isso!! Trabalho com gênero e violência contra a mulher e estou farta de argumentos de homens e parceiros que só refletem a perpetuação da iniquidade de gênero na esfera do cuidado com os filhos!! Vou compartilhar este blog com vários amigos e amigas!! Grande abraço e continue a escrever com seu humor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Adriana. É preciso uma transformação muito profunda da pessoa para abandonar o papo de "coisa de homem" x "coisa de mulher". Por mais que se fale no assunto, a batalha de gêneros está ali desde o menino x menina da festa infantil. Fomos todos criados para ver no outro gênero quase um adversário e isso atrapalha demais. Abraço!

      Excluir
  45. Um dos melhores textos que eu ja li sobre cuidar dos pequenos!
    É isso mesmo, os homens tem e podem ajudar.

    ResponderExcluir
  46. AMEI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Tenho um bebe de 1 ano e acho muito triste quando o pai não participa.....acaba perdendo tanto porque o bebe se desenvolve muito rápido quando vc vê pronto....passou! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  47. Olá Flávio. Adorei os cálculos. Nunca havia me dado conta de todos esses minutos. Tenho a sorte de ter um marido que também acredita que o papel do pai é ser pai, e não apenas "participar" ou assistir à vida do filho de camarote. E ele me ajudou para burro também no item 1 - apesar da falta de seios. Eu sempre amamentei. Mas me organizei de maneira a tirar leite durante o dia para conseguir fazer uma mamadeira extra. Assim meu marido dava a mamada da meia-noite e eu podia dormir quase 6 horas seguidas entre a mamada das 21h e a das 3h. Fez a vida de todo mundo mais feliz aqui em casa. O Pedro é um cara de sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joana. Essa idéia é mesmo excelente. Apesar da ordenha ser dolorosa e exigir organização é um belo jeito de incluir o marido em mais uma tarefa. Imagino que Não se compare a sensação que vcs tem amamentando, mas é muito legal pra nós ver o bichinho atacando a mamadeira :-)

      Excluir
  48. Olha Flávio, ajudar a esposa no cuidado da Filha (no meu caso) é bom demais. Quando a Laura nasceu estávamos sozinhos no hospital, sem as avós e ninguém da família. Estamos longe dos parentes mudamos a 1 ano e então o pai teve que entrar em ação logo que a filha nasceu.
    Assim que o médico fez o parto que acompanhei de perto, junto de minha esposa a pediatra fez os primeiros procedimentos na Laura e já a passou pra mim, e imagina a minha cara de susto. A pediatra olhou e disse parabéns papai e pode ir junto com as enfermeiras pra elas darem banho na Laura. Depois de tudo arrumado, parti pro quarto com minha filha nos braços, chegando no quarto minha esposa logo chegou também, ainda sob efeito da anestesia (foi cesária) ela tava bastante atordoada, e a primeira noite passamos assim: a Laura chorando eu tentando colocar ela em minha esposa pra mamar e ainda tentando acalmar a minha esposa que tava pra lá de preocupada. Mas sobrevivemos graças a Deus.
    Concordo com tudo o que você disse, ser pai é muito mais do que dar o sobrenome pro filho(a) e sair passeando quando a fralda ta limpinha, de banho tomado e barriguinha cheia. Ser pai e estar junto na alegria e nos chororos também, e isso é bom demais, agradeço a Deus pela esposa companheira que tenho e pela Filha que torna nossos dias muito mais felizes.
    Tenho a sorte de trabalhar em casa e meu escritório ser a 5 passos do berço da Laura, então sempre que minha esposa precisa corro lá pra dar uma força. Grande abraço guri e continuemos na luta, por que ter filho e acompanhar de perto eles crescerem não tem preço. Ser Pai é bom demais....

    ResponderExcluir
  49. Como diz uma amiga minha... "Vomitei um Arco-Íris!"
    AR-RA-SOU!!!! Faz uma apostila com um "intensivão" ensinando os papais como se faz... cara, você vai ficar rico vendendo isso!!! hahahaha
    Parabéns pra você e pra sua esposa, que pode contar contigo de uma forma tão intensa nas tarefas com o bebê!!!

    ResponderExcluir
  50. É aquela velha história: quem quer arranja um jeito; quem não quer arranja uma desculpa. Parabéns!!! Aqui em casa também compartilhamos tudo isso com os nossos dois. E "trocamos o turno" porque como meu marido é mais notívago e eu não, durante a noite ele ficava acordado. Sim, eu dava de mamar a noite toda, mas era só botar no peito e entregar de volta. Ele ficava acordado, vendo filme com a nossa pequena no colo, barriga com barriga, porque se colocasse no berço ela berrava de cólica, gases ou qualquer outra coisa do tipo. Então eu conseguia dormir um pouco mais. De dia ele dormia e eu ficava. Tem que ter muito comprometimento como pai e também sensibilidade para ver que a carga para um só é muito pesada, mas quando há um companheiro para dividir (e não "ajudar" - detesto essa palavra!) tudo fica mais fácil para ambos.

    ResponderExcluir
  51. Que lindo! Se meu marido me ajudasse com pequenas coisas no decorrer do dia seria um alivio pra mim que tenho dupla jornada. E com certeza quem ganharia no final seria ele mesmo, pq assim eu estaria mais disposta pra nós dois. Parabéns, por vc assumir sua responsabilidade de pai. O mundo seria diferente se os pais participassem mais. E no final das contas que sai ganhando é o bebê pq foi criado com amor.

    ResponderExcluir
  52. Simplesmente genial, Flavio. Já passei por esse processo 2 vezes e, lendo o seu "relatório", fiquei até cansada novamente.

    ResponderExcluir
  53. Parabéns Flávio, você tem um paizão e sua mãe um companheiro responsável. Tenho 3 filhos e meus marido sempre foi muito presente. Felicidade , paz e harmônia para sua família. Um abraço e um beijinho na cabeça. ;)

    ResponderExcluir
  54. Flávio, parabens pelo texto....leve e muito engraçado!! E parabéns por ser PAI e nao apenas um progenitor e provedor....que é oq mais se vê por aí. Minha filha também tem a sorte de ter um PAI.
    Fiquei muito feliz em encontrar seu blog. Faz um tempinho comentei com meu marido que só encontrava blogs de "maternidade" escrito por mulheres e comentado por mulheres....me perguntava por onde andavam os pais (?!). Nao se interessavam por questoes de criação dos filhos, educaçao, etc? Taí, adorei!

    ResponderExcluir
  55. Muito legal. Também trabalho na área de TI. Saio de casa as 7h e volto as 20h. Mas todos os dias acordo minha princesa Heloisa de 5 meses e troco a fralda e dou a primeira mamadeira e deixou ela dormindo no meu lugar com minha esposa. São apenas uns 15 minutos de interação que representa muito para mim. E a noite ficamos os três juntos até as 23h quanfo ela pega no sono e dorme a noite toda. Graças a Deus rs

    ResponderExcluir
  56. Ooooooooooooouuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu mano!!! Faltou as partes: Faz um favor rapidinho, pega isso, atividades do lar, entre outras coisas...

    ResponderExcluir
  57. Concordo plenamente! Gracas a deus fiz uma otima escolha com o pai da minha filha, nao sorte, mas escolha, nao podemos vir dizer que encontrar um homem que nem voce ou meu noivo e sorte, mas uma escolha que fazemos. Queria ter tido parto normal, mas fui obrigada a ter cesariana porque o bebe estava sobre estresse, como todas as maes que tiveram uma cesariana sabem, nao e facil, e sim muito dolorido, nao conseguimos nos mexer direito com dor, e acabamos tendo dificuldades maiores para seguirmos as tarefas de novas maes de um recem nascido, quando estava em recuperacao da cesariana no hospital as enfermeiras nao paravam de comentar do casal novo que acabou de ter um bebe, ele tinha 18 e eu 21, e com aparencia mais novas ainda, depois de algumas horas os comentarios eram outro. Nunca tinham visto um pai tao presente, desde que nossa filha nasceu ate sairmos do hospital ate o dia que saimos a nossa filha ficou no quarto, e como sentia dor, quem cuidou da nenem foi meu noivo, trocava fralda, acordava toda vez que eu acordava para me dar ela para amamentar para eu nao ter que me levantar, me ajudava a aprender a amamentar, arrotava ela, aprendeu a dar banho nela, vestir ela, todas as necessidades que ela precisava enquanto eu me recuperava, e nao apenas isso, cuidava de mim tambem, ajustava a cama, me ajudava a ir no banheiro, me carregava da cama ate o sofa, do sofa ate a cama, caminhava comigo no corredor para poder me adaptar a dor. Quando saimos do hospital as enfermeiras comentaram comigo, que eu tinha sorte de ter alguem assim na minha vida, enquanto ele ia correndo ajustar a cadeirinha no carro e me ajudar a entrar no carro com nossa filha. Quando chegamos em casa, e nos adaptavamos a vida de novos pais, ele me ensinou tudo, trocar fralda, dar banho, vestir. Descia com ela para tomar sol, enquanto me ajudava a descer as escadas com dor, acordava em toda mamada, me dava todos os remedios que eu tinha que tomar, me ajudava a dar banho, trocar fralda, tudo sem reclamar do cansaco, so olhava pra mim e falava o quanto minha amava e o quanto nossa filha e a melhor coisa que aconteceu em sua vida. 18 anos e nenhuma reclamacao de ter perdido sua juventude. Nossa saga continuou, eu pedi para ele parar de acordar de madrugada comigo, eu estava amamentando, nao precisava que ele ficasse cansado so para me olhar amamentar. Mas quando nossa filha fazia 2 meses, fui diagnosticada com cancer, foi dificil e claro, mas seguimos em frente. Exames, medicos, sermos pais novos, tudo confuso, mas ele ia comigo e com a nenem em todas as consultas com todos os medicos, todas as consultas com a pediatra, sempre presente. Quando tive minha cirurgia, tive que parar de amamentar, minha filha com 4 meses, nos dias que eu fiquei no hospital ele cuidou dela, ia sempre com ela me visitar, falava que me amava me motivava, e sempre cuidando dela. Agora, minha filha tem 8 meses e tive que fazer minha terapia, tive que parar meu remedio por 2 meses, sofri muito, nao conseguia sair da cama, me mexer, pensar, nem me alimentar, muitas vezes lutava contra a doenca pra cuidar da minha filha, mas nas horas de fraqueza, vinha ele, me carregava pra cama, pro banheiro, qualquer lugar que eu precisasse, me dava comida, agua, e me incentivava, falava que era forte, uma vencedora, que o futuro a nossa frente era brilhante, tudo isso enquanto cuidava de nossa filha, dando 100% de apoio em tudo, alimentacao, tudo, tanto comigo quanto com ela. Agora ainda estou em tratamento, nao posso me aproximar da minha filha e ele que cuidou dela, dando total dedicacao a ela e a mim. E ainda tem que nos olhe feio na rua e falem "duas criancas cuidando de uma crianca". Sinceramente, nao somos criancas, especialmente esse homem de apenas 19 anos, que deu tudo que tinha para criar nossa filha, e cuidar de sua noiva doente. Tem quem fale que homem nao preste, acredito que muitos realmente nao, mas quando voce tem paciencia, voce acha um bom homem, um bom pai, como voce e meu amado noivo!

    ResponderExcluir
  58. Desculpa mas isso só pode ter sido escrito por uma mulher... Não existe homem que pense deste jeito...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se te faz mais feliz pode me chamar de Loreta.

      Excluir
    2. kkkkkkkkkk...!!!!! Poe o video do Cavalinho!!!!!....kkkkk....Caraca Flavio!! Meu Herói mano!!
      Brother ja pensou em escrever um livro? faço parte de uma confraria q auxilia em TUDO (editora, edição, diagramação, revisão, copydex, capa...etc)...Se interessar...faria um enorme sucesso e esse post é prova!!! Parabéns - Denis

      Excluir
    3. Oi Denis. Eu não sei se tenho assunto pra um livro inteiro. Mas a idéia é interessante sim. Se puder me mandar mais info, use o formulário de contato ali do lado por favor e vamos falando. Abraço.

      Excluir
  59. Caro Flávio,
    Muito legal seu texto.... minha mulher me mandou pois ja fiz algumas contas desse tipo...
    Porem esses numeros podem ser reajustados ao longo do.tempo... um exemplo: minha filha tem 10 meses e decidiu que nao gosta do trocador.... troca de fraldas tornou-se um show circense onde eu sou o palhaço e o publico nao é dos mais receptivos.....
    Mas realmente... de pouco em pouco, nao da pra parar e na segunda feira de manha eu agradeço que ela tem creche.....kkkkkkk

    ResponderExcluir
  60. Muito legal! Meu marido tb faz questão de participar de todas as formas possívei. Só senti falta de um detalhe aí: lavar e esterilizar as mamadeiras tb toma tempo e é um saco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi. Não coloquei isso porque considerei uma criança que só mama no peito. Abraço.

      Excluir
  61. Sensacional, Flávio! Aqui em casa também trabalhamos bem em equipe e meu marido sempre me ajudou muito: banhos, fraldas, mamadeira, papinha, contação de história, passeios e companhia carinhosa. Nossos dois filhos estão aprendendo que nenhum trabalho fica difícil quando é feito por mais mãos e de coração aberto.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  62. Em muitos casos vc vai fazer 60% das coisas e ainda vai ter que aturar a mãe falar que faz tudo sozinha... tenho certeza que metade dos maridos das mulheres que tão reclamando aqui ajudam e elas continuam reclamando. Fora as vezes que você se oferece pra fazer algo e a mulher não deixa porque acha que você não sabe fazer aquilo direito...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcio. Obrigado pelo comentário. Você tem razão. Muitas vezes é exatamente isso que acontece. Eu abordei o assunto neste outro post: http://turnododia.blogspot.com.br/2014/03/do-lar-2.html
      Quando o Pedro nasceu eu tive que dar vários "chega pra lá" na minha Elaine até ela acostumar que tinha que me deixar errar e sem dar palpite até eu aprender a fazer direito.
      Os maridos precisam se ligar mais sobre o seu papel, mas as esposas tb precisam se enxergar sobre como lidar com a nova realidade.
      Este blog é lido por mais mulheres que homens, Não é atoa que este post que pega no pé dos homens foi lido e compartilhado 30x mais que o outro, onde puxo a orelha das mulheres. Apontar dedos é sempre mais fácil que se tocar e mudar.

      Excluir
    2. Cansei de perguntar pras minhas amigas que reclamam da falta de ajuda..."Mas e você pede pra ele fazer? E quando ele faz vc elogia ou só critica? Vc deixa ele fazer ou faz antes?"....Eu era recem casada e minha sogra quando viu meu marido trocando a cordinha do secador de roupas fez cara de espanto e mandou..."Lá em casa ele não fazia nada"...minha resposta educada e resumida...Ué, mas se ele não fizer, quem vai fazer? Além do mais, a senhora já ouviu falar em ex-mãe? Não, né...já ex-mulher....".
      PS Eu já aprendi a trocar a cordinha do secador, conforme a dica do outro post sobre aprender a fazer algo "de homem".

      Excluir
  63. Muito bom seu texto, esta de parabens!!!
    Que sirva de exemplo para muitos, que acham que so a mae tem que participar de tudo.
    Estou gravida de 22 semanas e com certeza mostrarei seu texto ao meu marido.
    Obrigada por dividir sua experiencia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol. Obrigado.
      Como sugeri pro colega acima, não deixe de ler e compartilhar este aqui tb: http://turnododia.blogspot.com.br/2014/03/do-lar-2.html

      Excluir
  64. cara!!!Virei tua fã, compartilhei no face!!é simplesmente sensacional teu texto..tb souo blogueira e aproveitarei o gancho do teu post!!!!parabéns, tua esposa tirou a sorte grande! e o filhote ainda mais. abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eliane. Obrigado. Pode colocar o link do seu blog se quiser. Fique a vontade.

      Excluir
  65. Vc é ninja! Todo mundo aqui em casa leva o dobro do tempo para fazer essas tarefas! Agora o meu Pedro está andando e há muitas outras tarefas a fazer tipo: colocar as roupas que ele tirou das gavetas para dentro novamente, limpar o banheiro inundado depois das brincadeiras do banho, juntar a ração do cachorro depois que ele tentou comer, limpar a cozinha depois do almoço, pois agora ele quer comer sozinho (imagina!!) e várias outras baguncinhas gostosas que ele apronta! Filhos pequenos problemas pequenos! Filhos grandes problemas grandes!! heheheheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joana. Quando fiz a tabela o Pedro tava com 6 meses e ainda nem comia papinha salgada. Pra ajudar, nossa cidade é pequena e tudo que envolve deslocamento não é um grande problema. Fica tudo mais rápido mesmo.

      Excluir
  66. Ah, um bebê só pode sentir fome ou sede de 3h em 3h??
    Experimenta ficar sem beber nada nem comer nada, todo dia, durante 3h! Só beba ou coma de 3h em 3h horas pra vc ver se é legal.
    Pelamor é cada coisa viu, e a galera ainda aplaude.. que horror

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Eu sou louco e burro. Obrigado pelo comentário lúcido. Abraço.

      Excluir
  67. Meu filho Pedro está com 9 anos e só agora, lendo esse post, meu marido, que foi devidamente educado, incentivado, estimulado e finalmente empurrado por mim pra ser um pai integral, confessou que um dia tirou um pedacinho do dedo dele cortando a unha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ver vc era meio braba, Dilza. Só agora deve ter dado coragem de contar :-)

      Excluir
  68. Sensacional este post. E eu já ia escrever um comentário sobre a responsabilidade da mulher na participação do pai, quando li o outro post, exatamente sobre isso. Adorando o blog! Parabéns Flávio!

    ResponderExcluir
  69. Vou passar por isso daqui a 2 dias e penso da mesma forma que você.

    Parabéns pelo excelente texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo? Cara, faz uma coisa amanhã: vai no cinema! Você não vai poder ir no cinema por MUITO tempo! Abraço pros 3.

      Excluir
    2. Flávio, aí é que você se engana. Existe o cinematerna em várias cidades do Brasil. É uma sessão de cinema em que você pode levar a criança ( até 1 ano e 6 meses), em que o som é mais baixo e o frio mais ameno. Aqui na minha cidade infelizmen ha apenas uma sessão por mês, mas já é alguma coisa.

      Excluir
    3. Legal. Vou ver se tem isso por aqui, obrigado. O problema é que mesmo fazendo parte do clube, acho que EU não tenho paciencia pra ver filme com um monte de criança chorando :-)

      Excluir
  70. Rapaz, perfeito! Bom pro seu filho, bom pra vocês. Depois cresce e muda o tipo de tarefa, mas essa presença sadia é pra vida toda. Vida longa pra sua família.

    ResponderExcluir
  71. Meu marido sempre participa muito. Só não participa mais pq trabalha em horário comercial e faz faculdade a noite 3 vezes na semana!

    ResponderExcluir
  72. Acho divino pausente assim.
    Tentei de tudo para que o daqui se tornasse e não consegui. Se faz de desentendido e ainda se queixa quando algo está desorganizado.
    Juro. Ganhei neu filho que é um presente de Deus, mas perdi a paciência, o desejo e admiração por alguém que não sabe ajudar. E reconhecee minhas demandas e necessidades.
    Como nem sei mais o que fazer, só me resta pedir a separação. Fato que também parece difícil dele entender. E olha que falo de alguém com digna formação.

    ResponderExcluir
  73. Parabéns pela lucidez, Flávio! Espero que você desperte esse sentimento em outros pais também. Graças a Deus meu esposo ajuda e muito. Quando casei com ele, ele já tinha uma filha de 9 anos que morava com ele e cuidava muito bem dela e sozinho. Digo para ele que o " testei" como pai antes de casar. Rsrsrsrs . Espero que os homens acordem para essa realidade de que ter filho também é cuidar e isso fica na memória dos filhos para sempre. Lá na frente, todos nós também precisaremos ser cuidados.

    ResponderExcluir
  74. Flávio, esse blog está demais! Abraço a vc, Elaine e Pedro!

    ResponderExcluir
  75. Parabéns pelo texto! acho que muitos pais deveriam se implicar no processo de criação dos filhos, pois é um ganho de todos: mãe, pai e filho. Só me incomoda o fato de ver em muitos comentários (e isso eu vejo cotidianamente) a fala de que o pai tem de "ajudar"... olhando por essa perspectiva, quem "ajuda" acaba tendo um papel secundário, e quem é "ajudada" (no caso a mãe/esposa) tem sempre a "obrigação" (e o pai que ajuda é o "bonzinho" da história). Penso que devemos mudar um pouco essa ideia, já que o que está em jogo, na verdade, é a divisão de tarefas, tanto no cuidado dos filhos como na dinâmica familiar de um modo geral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Sim, Lorena, a idéia do papel secundário tem que mudar. Mas muitas vezes começar a ajudar é um bom começo pra quem nunca fez nada e sequer sabe por onde começar. Muitas mulheres esperam que o homem saia fazendo tudo certo, rapidamente e do jeito delas. Transições demoram, requerem paciencia e fases de adaptação. Talvez a primeira fase seja a ajuda.

      Excluir
    2. Hum... não sei se a primeira fase seja ajuda, mesmo diante de mulheres que ainda não consigam construir esse espaço mútuo. Acho que participação seria mais adequado, e não falo só da palavra em si, mas do ato mesmo, de participar! Já vejo que existem grandes mudanças nas posturas masculinas, relacionadas a esse papel; fico muito feliz quando "vocês" conseguem se colocar nesse papel de protagonistas (junto com a mulher, é claro), e vejo que o essencial é "fazer com prazer". O prazer de ver um filho crescendo, participando desse crescimento, o prazer de poder ter no relacionamento com a mulher uma parceria, o prazer de ver o próprio lar como um ambiente que conforta... acho que isso faz toda a diferença ;)

      Excluir
  76. Texto show de Bola!!! Pai que é Pai, participa!

    ResponderExcluir
  77. Meu sonho!!!! Tenho vontade de chorar...

    ResponderExcluir
  78. Concordo com muita coisa q VC escreveu. Esqueceu d contabilizar pro pai: idas ao supermercado, à farmácia ( q não são poucas). Além disso, é obrigação do pai arcar sozinho com todos os gastos da casa, além de babá e diarista? No conceito moderno, a mãe deveria ajudar ou compensar de alguma forma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compensar de alguma forma é não ter nunca jamais nenhum momento de descanso ou o direito de ter dez min de banho e uma refeição em paz? Pq o seu turno de trabalho tem h p acabar. Mas o turno da mãe não. E aí só estão as tarefas c o bb né? E as da casa? Tem alguém pra lavar, passar, cozinhar, lavar a louça, varrer, tirar pó, arrumar guardar???
      Sua esposa é escrava 24h ou é alguém q divide a vida c vc?

      Excluir
    2. Compensar de alguma forma é não ter nunca jamais nenhum momento de descanso ou o direito de ter dez min de banho e uma refeição em paz? Pq o seu turno de trabalho tem h p acabar. Mas o turno da mãe não. E aí só estão as tarefas c o bb né? E as da casa? Tem alguém pra lavar, passar, cozinhar, lavar a louça, varrer, tirar pó, arrumar guardar???
      Sua esposa é escrava 24h ou é alguém q divide a vida c vc?

      Excluir
  79. Parabéns pelo post, pela consciência e óleos cálculos! Sensacional
    Aviso aos iniciantes: o post foi bem otimista! Quem dera q eles arrotassem em 15 min apenas e dormisse em 20... E a papinha então... Lá se vai uma h

    ResponderExcluir
  80. Parabéns pelo post, pela consciência e óleos cálculos! Sensacional
    Aviso aos iniciantes: o post foi bem otimista! Quem dera q eles arrotassem em 15 min apenas e dormisse em 20... E a papinha então... Lá se vai uma h

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani. Obrigado. Isso aí era mais ou menos o que acontecia comigo, devo ter tido um pouco de sorte :-)

      Excluir
  81. Eu ri mas ri tanto! Lavou a alma de muita mulher. Pena que muito "homem" não consegue ver isso.
    Parabéns! Se me permite, vc é foda!

    ResponderExcluir